Não é fato raro que pessoas de qualquer idade e condição social esqueçam nomes, números, compromissos, locais onde determinados objetos foram guardados, datas de aniversário, ou mesmo que já contaram aquela história para a mesma pessoa várias vezes.

Os esquecimentos costumam ser de acontecimentos recentes, ao passo que fatos passados há muito tempo, dificilmente saem da memória. Esse fato costuma estar associado ao envelhecimento, o que pode causar um desconforto, já que a sociedade em que se vive, equivocadamente, preza o novo em detrimento do velho. E o sentimento de impotência torna-se um incômodo, podendo até, de forma mais veemente, desencadear um processo depressivo.

Continuar lendo

Algumas mudanças em nosso cardápio podem ajudar nosso cérebro a se manter mais concentrado e até diminuir o envelhecimento cerebral, melhorando a nossa memória. Uma alimentação adequada, rica em antioxidantes também faz parte das ações para prevenir as chamadas doenças degenerativas, como Alzheimer e Parkinson, fatalmente relacionadas à produção de radicais livres pelo nosso organismo.

Outro ponto muito importante é não pular refeições, principalmente o café da manhã. Isso pode comprometer o desempenho cerebral por falta de glicose e levar à fadiga mental. O ideal é fazermos cinco refeições por dia, com um intervalo de três horas para cada uma, sem pular nenhuma refeição.

Continuar lendo